Sabe ouvir os outros? Avalie a sua competência de escuta ativa

 

 

Saber ouvir é uma competência cada vez mais valorizada mas também cada vez mais rara nos dias que correm.

Já lhe aconteceu alguém perguntar "Tudo bem?" e mesmo respondendo "Nem por isso" a outra pessoa continuar a falar como se tivesse dito que estava "tudo bem"? Pois é, essa situação é frequente para quem não costuma responder o típico "tudo bem". Se nunca lhe aconteceu, faça a experiência e descubra rapidamente quem são os bons ouvintes entre as pessoas com quem se relaciona.

Por alguma razão nascemos com uma boca e dois ouvidos...é que falar é muito mais fácil do que ouvir! Dar verdadeira atenção a alguém implica esforço físico, mental e até emocional.

Apesar de nos terem ensinado a falar, a ler e a escrever, ninguém nos ensinou a ouvir! Porém, passamos muito mais tempo a ouvir do que a falar, a ler ou a escrever. 

A capacidade de escuta ativa é fundamental nas relações pessoais ou profissionais e quando não desenvolvemos essa competência, ou - pior ainda - quando nem sequer temos consciência de que não a temos, poderemos ser “vítimas de nós próprios”. Isto é, uma pessoa que não sabe ouvir frequentemente não compreende algumas das dificuldades ou situações desagradáveis que surgem na relação com os outros. 

Todas as pessoas gostam de ser ouvidas e há comportamentos dos outros que nos fazem sentir que "estamos a ser ouvidos" e por isso, respeitados enquanto pessoas.

A escuta ativa implica:

1) Prestar atenção e mostrar interesse pelo outro;

2) Não interromper e permanecer em silêncio quando alguém fala connosco;

3) Entender claramente a situação do outro;

4) Ouvir as palavras mas também os gestos e as expressões faciais.

Resumidamente, para mim, escutar ativamente é ouvir com os ouvidos, com os olhos e com o coração…

Se quiser avaliar a sua competência de escuta ativa, encontra aqui um exercício de autorreflexão.